Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Conheça melhor:

Mariana Silva

(07 Outubro, 1933)

Mariana Silva nasceu na freguesia de Santa Engrácia, em Lisboa, a 7 de Outubro de 1933. As suas tendências artísticas revelaram-se muito cedo e, entre os 5 e os 12 anos, trabalhou como trapezista e contorcionista no Circo Transmontano.

Ainda na infância foi notória a sua vocação de cantadeira, fazendo a sua estreia nos palcos da União Artística e do Salão Monumental com apenas 10 anos. Nesta altura ficou conhecida como “a miúda do Alto do Pina”. Este título continuou a ser utilizado em cartazes promocionais dos espectáculos em que participava, como podemos comprovar por um evento no Mercado da Ericeira, realizado a 2 de Outubro de 1948, onde se lê por baixo do seu nome: “a conhecida miúda do Alto do Pina, possuidora da mais linda voz fadista”. Rapidamente a jovem Mariana Silva seguiu o caminho da profissionalização, sendo contratada pelo empresário José Miguel.

A sua popularidade é de tal forma grande que é presença na capa do jornal “Ecos de Portugal”, datado de 1 de Maio de 1948, onde se revela que apesar de não ter “ainda cartão profissional, devido à sua idade, pois conta apenas 14 anos. Está contudo autorizada pela Inspecção Geral dos Espectáculos a cantar”. Esta era uma autorização excepcionalmente dada e acompanhada da restrição de permanecer apenas nas casas e palcos de espectáculo até às 23 horas.

Também simbólico do grande agrado e apreciação que o público lhe retribuía em aplausos é a criação de uma Taça Mariana Silva “atribuída à cantadeira que obtenha mais aplausos”, num espectáculo do Grupo Desportivo Calhariz de Benfica, realizado a 4 de Fevereiro de 1950.

Em 1952, Mariana Silva ganhou o título de Rainha do Fado Menor, num concurso levado a cabo no Teatro Apolo, destacando-se pela sua forma particular de estilar e interpretar o fado.

No final da década de 1960, na rubrica Galarim da Semana da revista “Plateia”, o poeta Carlos Conde dedicou-lhe as seguintes quadras: “Voz que ao Fado sabe dar O que o Fado deve ter: - O Estilo de bem cantar E a arte de bem dizer! Ternura, fé, vibração, Tudo nela se condensa; Impõe-se pela expressão E marca pela presença! Porque a cantar honra o Fado, Só por isso a Mariana Tem hoje lugar marcado No «Galarim da Semana»!”

Ao longo da sua vasta carreira Mariana Silva actuou e fez parte dos elencos permanentes das mais conceituadas casas de Fado, como o Retiro dos Marialvas, Solar do Marceneiro, Adega Patrício, Adega Mesquita, Adega Machado, Lisboa à Noite, Forcado, Tipóia, Timpanas, Viela, Parreirinha de Alfama ou Márcia Condessa.

A fadista realizou também algumas deslocações para espectáculos no estrangeiro, actuando em países como a França, a Bélgica, a Alemanha e a Holanda. Com cerca de 16 anos gravou o seu primeiro disco para a editora Estoril de Manuel Simões e, posteriormente, editou trabalhos discográficos por diversas editoras como a Rapsódia, a Alvorada ou a Orfeu. Do repertório desta fadista fazem parte grandes temas como a “Erva da Rua”, de João Linhares Barbosa e Jaime Santos; “A Minha Sina”, de Henrique Rego e Alfredo Marceneiro; “A Sina das Marianas”, de João Linhares Barbosa e José António Sabrosa; “Santa Mãe”, de João Linhares Barbosa e Alfredo Marceneiro, ou “Amar Não É Pecado”, de autoria de Moita Girão e Pedro Rodrigues.

Podemos encontrar a voz de Mariana Silva na compilação "Grande Estilista do Fado" (editora Estoril) e em diferentes antologias: “Fados do Fado” da Movieplay, um disco com algumas das gravações que fez para as editoras Alvorada e Orfeu; nesta mesma colecção, mas no volume dedicado às “Desgarradas”, é possível escutar os temas: “Estava Apenas a Brincar” e “Devaneios ao Serão”, temas em dueto com Armando Morais; “Maria Não Adivinhas” e “Desgarrada”, faixas em dueto com Manuel Fernandes; e ainda “”O Fado E… Elas”, onde Mariana Silva canta com Filipe Duarte e Maria Amélia Proença.

Mariana Silva retirou-se da vida artística em 1999, deixando nessa data o elenco da casa de Fado de Argentina Santos, a Parreirinha de Alfama.

 

Fonte:

“Ecos de Portugal”, 1 de Maio de 1948

“Galarim da Semana”, in Revista “Plateia”,s/d.

Cartaz de espectáculo do Mercado da Ericeira, 2 de Outubro de 1948

Cartaz de espectáculo do Grupo Desportivo Calhariz de Benfica, 4 de Fevereiro de 1950

Mariana Silva, s/d

Mariana Silva e Alfredo Marceneiro, 1951

Alfredo Duarte Júnior, Raul Nery, Teresa Nunes, Fernando Farinha, Joaquim do Vale e Mariana Silva. Café Luso, s/d

Alfredo Duarte Júnior, Mariana Silva e Teresa Nunes. Adega Mesquita, s/d

Mariana Silva e Manuel de Almeida. Filmagens de Programa de Televisão, s/d.

Mariana Silva, Celeste Rodrigues e Lina Maria Alves, s/d

Alfredo Marceneiro, Mariana Silva e Lina Maria Alves. Parreirinha de Alfama, s/d.

Mariana Silva, s/d

  • Erva da Rua Mariana Silva (João Linhares Barbosa / Jaime Santos)