Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Oficina de Guitarra

 

A instalação de uma Oficina de construção de Guitarra Portuguesa constitui um projecto central do EIXO IV - Programa Educativo definido no Plano de Salvaguarda constante da candidatura do fado à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO).

 

A)ENQUADRAMENTO HISTÓRICO | OS GUITARREIROS

 Na história da construção da guitarra portuguesa, inteiramente artesanal, distinguem-se duas famílias de guitarreiros que aperfeiçoaram e transmitiram a sua arte ao longo de sucessivas gerações. A primeira inicia-se com Álvaro da Silveira e é continuada por Manuel Cardoso e seu filho Óscar Cardoso. A segunda inicia-se com João Pedro Grácio e mantém-se com João Pedro Grácio Júnior, que se destaca de seis irmãos, e seu filho Gilberto Grácio. O diálogo permanente entre esta oficina e os executantes que a preferiram, como Armando Freire, Artur Paredes, Carlos Paredes ou José Nunes, foi fundamental à evolução técnica e acústica do instrumento.

Sob gestão do Museu do Fado, a oficina integrará dois espaços de construção distintos, correspondendo às duas escolas tradicionais na arte da construção da guitarra portuguesa: as escolas de Óscar Cardoso e de Gilberto Grácio.

O novo espaço reunirá as valências de oficina - armazenamento, preparação, secagem de materiais e construção – com as valências de exposição e venda de instrumentos, prevendo-se a possibilidade de visita pelo público nacional e estrangeiro, dentro de um horário de abertura ao público previamente definido.

 

B)PROGRAMA FUNCIONAL

Integrando o programa estratégico da candidatura aprovada pela UNESCO, a oficina de construção de guitarra portuguesa, no Largo das Alcaçarias, assumir-se-á como pólo de revitalização e salvaguarda desta herança patrimonial, promovendo a arte dos guitarreiros, a transmissão dos seus saberes às novas gerações, a sua interpretação, estudo e fruição pelo público, em geral, e pelo círculo de investigadores, em particular.

A Oficina privilegiará as duas escolas tradicionais na arte da construção da guitarra portuguesa, de Gilberto Grácio e de Óscar Cardoso.

Um espaço de exposição e de venda de instrumentos e acessórios para guitarra portuguesa (cordas, unhas, alicates), a par de uma biblioteca especializada de guitarra portuguesa, projecção de filmes, postos de consulta sobre guitarristas e guitarreiros integram a oferta da Oficina que poderá ser visitada visita pelo público nacional e estrangeiro dentro de um horário de abertura ao público condicionado, de modo a não interferir com o regular funcionamento dos trabalhos.

De maio a setembro a programação da Oficina estruturar-se-á em workshops e masterclasses diversificados (2 horas semanais cada) em torno da construção do instrumento.

curso de construção de guitarra terá início no ano lectivo de 2019/2020. Nele participarão os formandos que o corpo docente seleccionará de abril a setembro.

 

C) OFERTA EDUCATIVA

Com uma oferta educativa inteiramente centrada no instrumento a Oficina promoverá workshops e ateliês diversificados em torno das diferentes etapas de construção de uma guitarra portuguesa, desde a selecção de madeiras, ferramentas e equipamentos técnicos, a modelação das ilhargas, a experimentação da ilharga na forma, a colocação das mesmas no braço, colagem e fixação do cerquilho, colagem do tampo, afagamento, abertura de friso de  embutidos, ensaio do encaixe do braço no corpo da guitarra, aplicação por colagem da madrepérola, desbaste do braço da guitarra, polimento, aplicação de escala e trastes, entalhamento da voluta, aplicação de leque, encordoamento e afinação, construção de unhas e palhetas, etc.

A oferta educativa da Oficina privilegiará também a aprendizagem em torno da História do Instrumento, assim como a formação especializada em torno de elementos integrantes da guitarra portuguesa, com ateliers de construção de leques de guitarra portuguesa, entalhamento de volutas, conservação e restauro, entre muitos outros temas. O corpo docente será integrado por luthiers, guitarreiros, entalhadores, técnicos de conservação e restauro, músicos e investigadores.