Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

24 Fevereiro, 2011

Os Fados da Alvorada

img

No dia 3 de Março, o Museu do Fado acolheu a apresentação da colectânea Os Fados da Alvorada (Movieplay). A apresentação esteve a cargo de José Manuel Osório, responsável pela organização da antologia, Rui Vieira Nery, musicólogo e Nuno Lopes, jornalista.

Os três volumes da colecção são o resultado duma aturada investigação que passou em revista cerca de 20 anos de gravações sonoras produzidas pela etiqueta Alvorada. Inclui temas de Amália Rodrigues, Ada de Castro, Carlos Carvalho, Manuel de Almeida, entre outros.

Após a apresentação houve um momento musical protagonizado por António Chaínho, Chico Madureira, Maria Amélia Proença e Maria de Fátima, acompanhados por António Parreira (guitarra portuguesa) e Guilherme Carvalhais (viola).

 

A Etiqueta Alvorada

A etiqueta Alvorada, propriedade da empresa portuense Rádio Triunfo, Lda., existia já na primeira metade dos anos 50. Inicialmente conhecida por Melodia, viu-se forçada a mudar o nome por já existir na Europa um rótulo discográfico com o mesmo nome. Durante vários anos o logótipo foi mudando de cores tendo mantido sempre o mesmo aspecto gráfico.

As primeiras edições Alvorada terão provavelmente atingido quantidades pouco significativas. Tiragens de pouco mais de 1500 a 2000 discos foram construindo com passos seguros aquela que é, provavelmente, a mais significativa etiqueta de discos em Portugal.

Foi no ano de 1957 que a Alvorada publicou o seu primeiro disco de 45 rotações por minuto (rpm). Com a referência MEP 60 001, sai nesse ano um disco de Amália Rodrigues onde canta: “Lá Porque Tens Cinco Pedras”, com música de João Bernabé de Noronha e letra de João Linhares Barbosa, “Fado Alfacinha”, com música do guitarrista Jaime Tiago dos Santos e letra de António Feijó, “A Minha Canção é Saudade”, com música de Joaquim Frederico de Brito e letra de Vaz Fernandes e ainda “Quando os Outros te Batem, Beijo-te Eu”, com música de Armando Machado e letra de Pedro Homem de Melo.Como nota de curiosidade, aqui fica a informação da edição desta mesma faixa na etiqueta Melodia, no ano de 1952, num disco de 78 rpm, com a referência 37.009.

O segundo, com a referência MEP 60 002, editado igualmente no ano de 1957, é também um disco de Amália Rodrigues. Amália canta neste disco os seguintes temas: “Cabeça de Vento”, “Disse Mal de Ti”, “Tentação” e “Avé Maria Fadista”. Nesse mesmo ano são editados com as referências MEP 60 003 e MEP 60 004, mais dois discos da etiqueta Alvorada. Estes dois discos têm o mesmo título: Fados de Coimbra. Segue-se um quinto disco de Maria Amélia Canossa, com a referência MEP 60 005.Parece-me lícito concluir que o primeiro ano de existência da Alvorada foi um ano de uma enorme riqueza.

 

José Manuel Osório