Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Conheça melhor:

Tânia Oleiro

(22 Janeiro, 1979)

Tânia Oleiro teve o Fado como berço, por condição, e tem sido crescente a sua necessidade de se fazer ouvir ao longo de um percurso traçado com solidez, talento e dedicação. 

Continuamente solicitada, a sua voz é reconhecida como uma das melhores da actualidade, sinónimo de bom gosto e elegância. Sem abandonar as convenções estéticas do Fado, oferece novas soluções expressivas, num estilo simultaneamente discreto, doce e profundo, marca do seu carácter pessoal e artístico. 

Enraizada no seu legado histórico, é um valor emergente que abre caminhos para o futuro, num equilíbrio belíssimo entre a selecção cuidada do repertório, os músicos que a acompanham e o seu extraordinário poder interpretativo. 

O Museu do Fado editou ‘Terços de Fado’, em 2016, o primeiro disco de Tânia Oleiro.

Neste disco, 'Terços de Fado', a fadista reúne 15 temas que revelam o seu percurso imensamente enriquecido pela partilha de experiências com três grupos de músicos, cúmplices da sua caminhada: Ricardo Parreira (guitarra portuguesa), Marco Oliveira (viola de fado) e Francisco Gaspar (viola baixo); Pedro de Castro (guitarra portuguesa), Jaime Santos (viola de fado) e Francisco Gaspar (viola baixo); Bernardo Couto (guitarra portuguesa), José Elmiro Nunes (viola de fado) e Daniel Pinto (viola baixo). 

“Tânia Oleiro tem sido uma revelação no fado. De uma forma discreta e serena, sem poses artificiais de show business nem pretensões filosóficas pós-modernas”, como escreve o Professor Rui Vieira Nery na introdução do seu disco de estreia.

Tem passado por alguns dos palcos mais conceituados de Portugal. Ao Museu do Fado, Festa do Avante e Festival Santa Casa Alfama, entre outros, juntam-se as ‘tours’ internacionais em países como Áustria, Alemanha, Estados Unidos da América, Istambul e Espanha.

Em breve surgirá o seu mais recente registo, ’Tânia Oleiro Fado’, onde revela a sua primeira composição musical. 

Uma produção independente, captada e misturada por Fernando Nunes e acompanhada pelo grupo de músicos: Pedro Amendoeira (guitarra portuguesa), Pedro Pinhal (viola de fado) e Paulo Paz (viola baixo).

A cantar profissionalmente há quase 20 anos, dá a conhecer alguns temas que são reflexo da sua maturidade, do encontro com a sua mais vincada identidade e da sua entrega aos saberes tradicionais e à vasta riqueza do espólio do Fado.

 

Fonte:

Tânia Oleiro

Tânia Oleiro. Foto de Luís Carvalhal

Tânia Oleiro. Foto de Luís Carvalhal

Tânia Oleiro. Foto de Luís Carvalhal

Tânia Oleiro. Foto de José Frade

Tânia Oleiro. Foto de José Frade

Tânia Oleiro. Foto de José Frade