Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies.

concordo

Conheça melhor:

Ana Laíns

(16 Agosto, 1979)

Ana Laíns canta pela primeira vez em público aos 6 anos. Nascida em Tomar, desde cedo descobre o seu talento para a música e aos 15 anos canta, em público, o seu primeiro fado. Após ter vencido a Grande Noite do Fado de Lisboa, em 1999, decide apostar na sua carreira musical e apresenta-se nos Estados Unidos, Alemanha, Bélgica e Luxemburgo.

Apesar de ter assinado o seu primeiro contrato discográfico em 2003, com a editora Difference, só sentiu maturidade para gravar o seu disco de estreia no final de 2005, contando com a ajuda de Diogo Clemente na direcção musical e produção. Em Abril de 2006 chega por fim ao mercado o primeiro álbum- “Sentidos”, onde interpreta alguns dos seus poemas de eleição, de autoria de Florbela Espanca, Lídia Oliveira e António Ramos Rosa, entre outros, e no qual conta com um naipe de músicos de excepção.

A tour de “Sentidos” passa por Espanha, Bélgica, Holanda, Rússia e Grécia, onde foi considerada “a diva de um fado diferente”. A crítica internacional teceu rasgados elogios ao trabalho e a revista britânica Songlines salientou o exercício absolutamente contemporâneo da cantora no fado. Em Portugal foi considerada uma grande revelação por dar uma nova cor ao fado e à música portuguesa.

No verão de 2009 surge o convite de Boy George para gravar em dueto “Amazing Grace”, incluído no seu mais recente trabalho e, em Fevereiro de 2010, lança o seu novo álbum “Quatro Caminhos”, que conta novamente com a cumplicidade de Diogo Clemente na produção e direcção musical. Continua a sua incursão pelo fado e pelas músicas tradicionais com composições de autoria de Diogo Clemente, Amélia Muge, José Manuel David e Filipe Raposo, entre outros. No que respeita a palavras, Ana Laíns privilegiou a temática da vida e das suas várias perspectivas, escolhendo poemas de Natália Correia, do uruguaio Rúben Darío ou do brasileiro Carlos Drummond de Andrade, e estreia-se como letrista com uma homenagem ao fado no tema “Não sou nascida do fado”.

Com a tour “Quatro Caminhos”, em 2012, esgota salas como a do DeDoelen, em Roterdão, ou do Tropen Theater, em Amesterdão. Na Alemanha apresenta-se na Passionskirche de Berlim e na sala Harmonie em Bona, por onde passaram alguns dos maiores ícones do Jazz e da World Music. Em Portugal apresenta-se em vários palcos, com destaque para o concerto comemorativo dos 55 anos de carreira de Fernando Alvim e, também, para a participação na Gala Amália, no Coliseu dos Recreios, em Novembro de 2012. Ana Laíns foi ainda convidada a dar voz à Grande Marcha de Lisboa 2012, que teve como temática os descobrimentos e a ligação cultural entre Portugal e o Brasil.

Ana Laíns participa nas duas edições, 2013 e 2014, do maior festival de fado organizado em Portugal – Caixa Alfama – a par de vozes como Camané, Ana Moura, António Zambujo, Ricardo Ribeiro e Maria da Fé, entre outros.

Na tour de espectáculos de 2014 Ana Laíns passou pela Áustria (onde esgotaram 12 dos seus concertos, em salas emblemáticas como a Metropol de Viena, a Treibhaus de Innsbruck, a Oval de Salzburgo ou a Orpheum de Graz), Espanha, Turquia (onde representou Portugal no dia 10 de Junho, em Ankara), Alemanha e Portugal (onde terminou com um concerto esgotado no Centro Cultural Olga Cadaval, de apresentação oficial como Embaixadora das Comemorações dos 8 Séculos de Língua Portuguesa).

Ana Laíns diz que vê hoje a música “como uma forma de expressão livre e globalizada. Pode parecer um paradoxo, mas talvez este conhecimento seja o maior motivo da minha fidelidade ao Fado, à música tradicional e á língua portuguesa.” A crítica adora-a em palco, destacando a forma virtuosa de cantar, a sua forte performance, interpretação e capacidade natural para chegar ao público, valorizando essencialmente o seu lado eclético.

Em 2017 edita "Portucalis", um disco inteiramente dedicado à Portugalidade e, em Janeiro de 2020, comemora os 20 anos de carreira com um concerto no Casino Estoril.

 

Fonte:

Dados fornecidos por Ana Laíns

http://www.analains.com/

Ana Laíns - capa do disco Quatro Caminhos, 2012

Ana Laíns, fotografia de José Frade, Museu do Fado, 2012

Ana Laíns, fotografia de José Frade, Museu do Fado, 2012

Ana Laíns, fotografia de Alfonso Bravo, s/d

Ana Laíns, fotografia de Dinis Muacho, Centro Cultural Olga Cadaval, 2014

Ana Laíns, fotografia de Dinis Muacho, Centro Cultural Olga Cadaval, 2014

Ana Laíns, fotografia de Dinis Muacho, Centro Cultural Olga Cadaval, 2014

Ana Laíns, s/d

  • Pouco Tempo Ana Laíns (Lídia Ribeiro / Diogo Clemente)