Museu do Fado
siga-nos em:
Apresentação
 

“O património cultural imaterial, transmitido de geração em geração, é permanentemente recriado pelas comunidades e grupos em função do seu meio, da sua interacção com a natureza e a sua história, proporcionando-lhes um sentimento de identidade e de continuidade, contribuindo assim para promover o respeito pela diversidade cultural e a criatividade humana”

Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da Humanidade, UNESCO, 2003, (Artº 2, alínea 1)

A Câmara Municipal de Lisboa apresentou em Junho de 2010 a candidatura do Fado à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade, (UNESCO) programa que se consubstancia na implementação de um plano de salvaguarda integrada do património do fado.

Constitui um objectivo central do projecto a admissão do Fado na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade de 2011, decisão que terá lugar na 6ª reunião do Comité Internacional da UNESCO prevista para o mês de Novembro de 2011;

Desenvolvida pela EGEAC EEM através do Museu do Fado, o programa da candidatura articula os pressupostos de investigação científica com a participação efectiva da comunidade do fado orientando-se o plano de salvaguarda em torno de cinco áreas programáticas fundamentais, consagradas, respectivamente, a acções de:

a) Envolvimento da Sociedade Civil através de uma rede de cooperação institucional que, num plano integrado, reúne instituições académicas, museológicas, arquivísticas, associações e colectividades de recreio, entre outras entidades públicas e privadas, que são detentoras de acervos relevantes para o estudo do tema e/ou representativas dos interesses da comunidade do fado.

b) Educação/Formação através da implementação de Programas Educativos que contemplem a participação efectiva de artistas, autores, músicos e construtores de instrumentos, na transmissão do conhecimento.

c) Edição/Investigação através da implementação de um programa editorial de fontes históricas, fontes musicais, fontes poéticas, fontes iconográficas, fontes sonoras, outras edições literárias (ensaios históricos e analíticos, depoimentos, catálogos de fontes documentais), bem como de edições de documentários temáticos;

d) Dinamização e revitalização de espaços tradicionais de fado através da criação e desenvolvimento de Circuitos Temáticos na cidade de Lisboa, envolvendo os espaços performativos do fado profissional e amador;

e) Acções de promoção no plano nacional e internacional do universo e da cultura do Fado.


stqqssd
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
em destaque...